Romena mudou de vida ao se casar com brasileiro.

Beatrice conheceu Marcos pela internet, se encantou pelo jovem e veio morar no Brasil por causa dele.


A história de amor de Marcos e Beatrice encantou os convidados do Encontro desta quarta-feira, 4. O casal chama atenção por dois motivos: ele é brasileiro e cego desde que nasceu e ela é romena e não tem nenhuma deficiência física. Mas as diferenças e a distância não foram problemas para esses dois, que se conheceram pela internet há 4 anos e nunca mais desgrudaram. “Eu tinha acabado de perder meu pai, queria formar uma família com alguém, mas nunca tinha tido nenhum relacionamento. Uma amiga tinha me enviado alguns vídeos divertidos para eu ver, até que vi um vídeo que se chamava ‘Esquiando no escuro’e fiquei com curiosidade para aprender português. E era ele esquiando”, contou Beatrice, que fala português perfeitamente.
videoMarcos, que é formado em jornalismo, divertiu a plateia contando como foi o primeiro contato dos dois pela web: “Ela me adicionou em um bate-papo e falou que era da Romênia. Eu disse: ‘Mentira, ninguém da Romênia vai falar comigo’. Aí liguei para o meu amigo que fez o vídeo comigo para saber se eles estavam brincando comigo e eles juraram que não. Aí eu comecei a fazer um teste com o que eu sabia sobre a Romênia: Qual é a capital, quais são os principais times... e ela passou no teste”.
Marcos e Beatrice na cerimônia de casamento (Foto: Arquivo pessoal)Marcos e Beatrice na cerimônia de casamento (Foto: Arquivo pessoal)
Apaixonada, Beatrice conta que o fato de Marcos ser deficiente visual e morar no Brasil nunca foram problemas para a família dela. "No início, meus amigos ficaram um pouco preocupados. A minha família, não. A minha mãe e o meu irmão gostaram dele desde o início", explicou a romena.
Juntos há quatro anos, Marcos contou que depois de muito papo pela internet, eles marcaram um encontro na Alemanha, para onde ele já tinha uma viagem marcada. "Era território neutro. Se não desse certo, os dois poderiam fugir", divertiu-se o jornalista. Depois do primeiro encontro, os dois alteraram temporadas na Romênia e no Brasil, até que ela veio morar definitivamente no Rio de Janeiro.
Adaptada à vida carioca, a romena diz que só estranhou um pouco o jeito carinhoso de ser dos brasileiros. “Na minha terra, a gente não chama uma pessoa do outro sexo de ‘querida’ ou ‘meu amor’. Um dia, acompanhei ele na  faculdade e uma colega dele falou: ‘Obrigada, querido’ para ele. Eu fiquei furiosa”, entregou.



Matéria copiada dos sites.


Um comentário: