ÎNVĂȚA 2 - Dicas para aprender um idioma a partir do zero

TÉCNICAS PARA APRENDER UM IDIOMA A PARTIR DO PONTO 'ZERO'.




Aprender um idioma é como ser bom em algum esporte, tocar algum instrumento musical ou se sobressair numa boa faculdade, é uma daquelas coisas que um grupo de pessoas insiste em dizer que é questão de dom ou sorte. 
Errado! 

É dedicação, claro que com uma pitada de questões culturais familiares, influencias diversas e talvez menos importante, questões genéticas. Dentro dessa postagem, colocarei técnicas para serem tentadas afim de aprender uma nova língua começando do mais básico dos níveis. Lembrando que não estou certo se funciona para alguns idiomas asiáticos como chinês, japonês, tailandês, ou para árabe, até mesmo porque não os falo, então não estou certo sobre a eficiência nessas línguas.


  • Conheça o alfabeto - É impossível ter um certo domínio sem saber quais as letras compõem o alfabeto e quais os som que elas produzem no idioma desejado. Ex. Na Itália existe um grande clube de futebol que se chama Juventus, porém a letra 'J' não existe no alfabeto italiano, sendo assim, a pronúncia correta seria (iuventus), porém, esse clube se localiza em uma região chamada de Piemonte, no norte da Itália, onde é falada a língua piemontesa, que usa a letra 'J' e possibilita normalmente o uso da mesma.
  • Apaixone-se - Como aprender algo que não se quer? Um dos grandes passos seria literalmente apaixonar-se pelo país, pela cultura, pelas pessoas, pelo idioma, assim fica mais fácil, mais agradável.
  • Viva a música - Muito curiosa essa parte, ainda não conheço quem aprendeu um idioma qualquer e não teve uma mínima influência da música. Existe uma explicação para isso, segundo Aurilene Guerra, mestre em neuropsicologia e professora da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a escuta ativa exige o desenvolvimento da capacidade de concentração, além de promover a criatividade por meio da sensibilização de quem está aprendendo.
  • Não complique - Aprenda a parte que lhe convier primeiro, aquela que te parecer mais fácil e mais útil, assim como coisas do dia-a-dia, que com certeza você precisará para um primeiro contato.
  • Tudo tem nome - Uma das coisas que pelo menos pra mim foi de grande valia (muito simples de fazer e difícil de se acostumar a fazer, mas depois de um tempo se torna ferramenta útil), descubra o nome de algumas coisas do dia-a-dia e ao invés de se referir em seu idioma, diga em voz alta ou mentalmente pra si mesmo o nome do objeto no idioma que está aprendendo. Ex: Carro em português agora é 'Mașina' em romeno. Olho em português agora é 'Ojo' em espanhol... E por aí vai.
  • Fuja das regras - É comum encontrar pessoas em cursos se preocupando ao extremo com gramática e tendo paranoias em corrigir outras pessoas pela maneira que aprendem, cada um aprende em velocidade diferente e de maneira diferente. E vamos concordar, a gramática não facilita a vida de ninguém em português, quem dirá em outra língua?
  • Não tenha medo de errar - Crianças aprendem mais rápido ou não tem medo de errar? Associamos nossa capacidade ao tempo de aprendizado de uma criança, mas esquecemos que eles erram, até falar com fluência. Pense que você quando criança errou, errou muito, até falar da maneira como fala hoje.
  • Ser/estar - Aprenda a conjugar Ser/Estar, Ter, Querer, Gostar/Amar, Ir, Fazer. E os outros verbos vão fluir através desses pela própria necessidade e desenvolvimento das frases que serão usadas.
  • Use e abuse - Use e abuse da internet, sites, livros virtuais, blogs, Wikipédia, Google, Google Translator, Livemocha, Busuu, Babbel, LingQ, não importa, explore algo novo todo dia, encontre sites que ensinem a escrever e a falar, onde seja possível ouvir a pronúncia correta. (Clique para acessar nos links disponíveis).
  • Não se esforce -  Não se sobrecarregue, não se estresse, tenha paciência, afinal não será de hoje para amanhã que terá tudo memorizado, esse é um trabalho de repetição, um exercício para o cérebro. Abaixo publiquei uma matéria provando que pouco tempo de estudo diário é mais que suficiente, ele mostra quanto tempo aproximadamente seria necessário para alguém que domina uma língua latina ou germânica aprender em semanas (com dedicação).

  • Contatos - Nada melhor que ter um amigo que fale o idioma desejado, mas não fale em sua língua materna, isso te forçará a aprender o que ele está falando (isso serve para usuários de internet, que usam redes sociais ou programas comunicadores). Melhor ainda é conhecer pessoalmente um amigo que fale o idioma desejado e fale também sua língua materna.
  • Escreva - Escrever faz parte do processo de memorização, copie palavras úteis e frases até ter uma base para poder ver sua evolução depois de um tempo de curso. Assim fica fácil ver de onde veio e pra onde vai.




Fontes:
piemunteis.it - http://www.piemunteis.it/
Italica - http://www.italica.rai.it/principali/lingua/bruni/mappe/mappe/f_dialetti.htm
Wikipédia - http://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_piemontesa
TerraNotícias-http://noticias.terra.com.br/ciencia/pesquisa/musica-ativa-regiao-do-cerebro-ligada-ao-raciocinio-e-concentracao,dafa00beca2da310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html
Revista Educação - http://revistaeducacao.uol.com.br/textos/170/dois-idiomas-uma-crianca-234962-1.asp
Rachacuca - http://rachacuca.com.br/trivia/9/verbos-mais-usados-do-portugues/
Hypescience - http://hypescience.com/algumas-pessoas-sao-melhores-em-aprender-novas-linguas-que-outras/
Voxy - http://voxy.com/blog/index.php/2011/03/hardest-languages-infographic/
Visual - http://visual.ly/what-are-hardest-languages-learn-arabic
Arquivo pessoal







Um comentário: