PORTUGUÊS PRA LUSÓFONO VER.


TÃO BOM QUANTO FALAR PORTUGUÊS, É ENTENDER PORTUGUÊS



  • A EXISTÊNCIA DO CEDILHA.

Embora tenha deixado de ser empregada na grafia da língua espanhola, a cedilha surgiu na Espanha.  A origem da palavra vem de "cedilla", diminutivo de "ceda", nome da letra "z" nesse idioma. Primitivamente, a cedilha era um pequeno "z" que se colocava debaixo do "c" para indicar que a letra correspondia ao som de [s].
O castelhano abandonou o uso da cedilha no século 18, a qual foi substituída por “z” ou “c” simples antes de “e” e “i”. A cedilha ainda  é utilizada em português, catalão e francês  para gerar o som [s] antes de “a”, “o” e “u”.
Exemplos: criança, preço, açúcar.


Entre muitas peculiaridades, a língua portuguesa tem três datas de comemoração dia 5 de maio, 10 de junho data em homenagem ao aniversário de morte do escritor português Luís de Camões e 5 de novembro homenagem ao aniversário de nascimento de Ruy Barbosa



Em março de 2006, o Museu da Língua Portuguesa, um museu interativo sobre o idioma, foi fundado em São Paulo, Brasil, a cidade com o maior número de falantes do português em todo o mundo.


Em muitas línguas, além de o termo “saudade” não existir, não há nem expressões com o mesmo sentido. Existem, sim, termos semelhantes. em inglês por exemplo usa-se miss you (que equivale a: sinto a sua falta).


Para quem não sabe, o brigadeiro é um doce totalmente brasileiro. Diz a história que ele ganhou esse nome nas eleições de 1945. O brigadeiro Eduardo Gomes, então candidato à presidência, tinha um slogan bem curioso: "Vote no brigadeiro que é bonito e solteiro."
Em troca de doações para a campanha, as mulheres começaram a fazer guloseimas, e entre elas, lá estava o docinho feito de leite condensado e achocolatado. E a iguaria ficou conhecida como o doce preferido do brigadeiro.

Animais no Português do Brasil (Expressões do Dia-a-dia)


A seguir termos, ditados e expressões envolvendo diversos nomes de animais de uso frequente em nossa língua.

No linguajar do brasileiro um amigo falso diz-se "amigo da onça”. "Pagar o pato" é fazer papel de tolo, assumindo as consequências de algo que não se cometeu. “Soltar os cachorros” em alguém é o mesmo que agir de forma agressiva, por meio de insultos. E em se tratando de insultos, quando uma pessoa é considerada pouco inteligente ou ignorante, “burra”, "anta", "toupeira", “jegue”, "mula" ou "besta" são adjetivos muito utilizados para identificá-la.

Em relação às mulheres, o termo “galinha” está associado à promiscuidade, enquanto que "gata" significa uma mulher bonita. “Vaca” é um termo comumente utilizado para designar uma mulher de má índole, assim como “cobra”, “jararaca” ou “víbora”. Quanto aos homens, “cachorro” significa homem de mau caráter, "cabrada peste" é uma forma de denominar um sujeito macho, ao passo que “cavalo” ou mesmo “animal” são termos que identificam homens brutos.

Com relação à família bovina, muitos são os termos e expressões existentes. Uma pessoa que não tem opinião própria é chamada de "vaquinha de presépio", ou seja, é como se servisse apenas de enfeite. A expressão "aonde a vaca vai, o boi vai atrás" está associada a pessoas que são facilmente influenciáveis por outras. Já um "mão de vaca" é alguém muito avarento, pão-duro. A expressão "a vaca foi para o brejo", indica que algo deu errado, ou que alguém fracassou. Utiliza-se “nem que a vaca tussa" para  dizer que algo não acontecerá sob hipótese alguma. Já “conversa para boi dormir” ocorre quando uma pessoa está de conversa fiada ou mentindo.



Quanto aos insetos, uma pessoa "formiga" é aquela que adora comer doces.  Já alguém muito intrometido, é conhecido como "abelhudo". “Acertar na mosca" significa fazer tudo direitinho. Já "comer mosca" está associado a perder uma oportunidade ou ficar para trás. O ditado “Em boca fechada não entra mosca" significa que, muitas vezes, é melhor ficar calado que dizer besteiras. Um "bicho-grilo" é alguém que mora longe da cidade, ou mesmo uma pessoa que tenha estilo alternativo, como os hippies. Uma pessoa confusa, que não sabe para onde ir, diz-se que é uma "barata tonta", enquanto que o termo “lesma” caracteriza uma pessoa lenta.

Ser "macaco de auditório" significa estar presente em aglomerações públicas com frequência. Já "mico de circo" é alguém que gosta de fazer brincadeiras para agradar os outros, enquanto que “estar com a macaca" é estar nervoso, agitado.


Comida no Português do Brasil (Expressões do Dia-a-dia)

Se uma pessoa comprovadamente culpada não é punida, dizemos que a situação "acabou em pizza". (O que é muito comum por aqui).

Quando alguém imagina ou diz algo que não condiz com a realidade, diz-se que essa pessoa está "viajando na maionese".

Uma pessoa muito emotiva costuma ser chamada de "manteiga derretida".

"Quando uma pessoa diz bobagens ou coisas sem sentido, ela está "falando abobrinha".

Se algo ou alguém representa um alvo fácil, diz-se que "está "dando sopa".

Quando duas ou mais pessoas têm o mesmo caráter, diz-se que são "farinha do mesmo saco". (Expressão geralmente usada no sentido pejorativo).

Se uma pessoa toma uma atitude exagerada, sem medir consequências, dizemos que ela está "enfiando o pé na jaca".

Quando alguém está confuso ou misturando os fatos, dizemos que está "fazendo a maior salada de frutas".

Se, por falta de assunto alguém fica enrolando a conversa ou um trabalho escolar, diz-se que a pessoa está "enchendo linguiça".

Quando temos certeza que algo vai acontecer, dizemos que "é batata". Se um problema sobra para a gente resolver, ficamos "com a batata quente na mão".

Um indivíduo que se acha o maioral, chamamos de "rei da cocada preta”.

Já "docinho de coco" costuma estar associado a uma pessoa meiga e querida.

Pessoa sem atitude ou desatenta, diz-se "banana".

Já uma tarefa muito fácil, chamamos de "mamão com açúcar".

Quando temos um problema para resolver, algo bem trabalhoso, dizemos que trata-se de um "abacaxi" ou de um "pepino".

Fontes:
http://www.soportugues.com.br/
http://www.alzirazulmira.com/Alzirez/arca.htm
g1.globo.com


Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário