PARAGUAY

Paraguay 2011

 Primeiro Tour ao vizinho guarani


"Dias antes de sair do meu país fui alertado pelos meus amigos para tomar cuidado, que 'o Paraguay não é o Brasil...'"


...maravilhoso saber disso. Com uma mochila, alguns pares de roupas e coragem, Hasta la vista Brasil.

Foram meses de planejamento, além do mais, essa seria minha primeira viajem internacional, tudo bem que é no Paraguay, pertinho do Brasil, mas, como nunca saí das terras tupiniquins não seria bom correr um risco desnecessário.


BlackCat Hostel
Numa lista de hoteis e albergues que pesquisei no site HostelWorld, acabei escolhendo o Black Cat Hostel pela localização e preço, está muito próximo de shoppings, casas noturnas, bares, restaurantes, igrejas e o grandioso Palácio López.


Depois de muita consulta, decidi fazer todo o percurso de ônibus, assim poderia economizar dinheiro, passar por mais lugares, conhecer mais pessoas e conhecer caminhos para novas viagens. De minha cidade até São Paulo fui pela empresa São Cristovão numa (cansativa) viagem de 8 horas, esperei poucas horas no Terminal Rodoviário Tietê/São Paulo, até pegar o ônibus da viação Pluma que ia direto para Asuncion/Paraguay.

De ônibus é uma viagem cansativa, os ônibus da Pluma são bons, mas, no final do ano, por conta da demanda de passageiros, colocam ônibus mais velhos, o que faz ficar pendente de conforto. As opções no trajeto são comer, dormir e ir ao banheiro. Normalmente os ônibus ficam refrigerados a 23 graus o que a noite pode ser muito frio, portando, leve um cobertor, nessa primeira vez eu não levei e senti muito frio durante a viagem.

Ponte da Amizade (Fronteira do Brasil com o Paraguay)
Depois de quase 18 intermináveis horas, as placas dos carros começam a ficar coloridas, consigo ver a partir de Foz do Iguaçu, Ciudad del Este que parece país de primeiro mundo quando vista de longe (de perto a gente descobre que estava enganado), ao passar pela Ponte internacional da Amizade é possível ver que o comércio faz a cidade paraguaya respirar e que em tempos de dólar alto a cidade está em crise, descobri que a mesma foi planejada para os brasileiros, para o comércio somente, segundo dados essa cidade é o terceiro maior polo comercial do mundo, ficando atrás apenas de Miami e Hong Kong, tudo isso graças a uma extensa isenção de impostos, que fazem pessoas de diversas partes do mundo irem às compras e apresentarem seus produtos. Não fiz paradas nessa cidade, passei direto rumo a Assunção.


VIVA A CAPITAL GUARANI

Das aproximadas 6 horas até chegar à Capital, o caminho é incrivelmente quente no verão, muito próximo aos 45 graus. Sim! 45 graus e regado à motociclistas sem capacete, levando passageiros igualmente desprotegidos em alta velocidade, vendedoras de chipa entrando em todas as paradas de ônibus gritando infinitamente -Chipa, chipa, chipa, gaseosa, gaseosa, gaseosa! O idioma é espanhol, mas nunca se surpreenda se no meio de alguma frase começarem a falar o guarani, que é o idioma indígena que permanece vivo e cultuado no país, o idioma é um orgulho para o povo paraguayo.

Muito próximo a cidade de Assunção eu sinto uma sensação de estar longe de casa, família e amigos, mas também de dever cumprido. Ao chegar, tive certeza que meu primeiro roteiro internacional nunca poderia ser diferente, mal havia chegado e já me sentia em casa!

Terminal Rodoviário de Asunción
Em geral me senti surpreendido com o país, assim que cheguei no Terminal de Omnibus de Asunción tomei um susto, era uma loucura, cheguei a me perder por falta de informações, com um esforço consegui sair do terminal e encontrei um táxi que me levou até o hostel, é comum e extremamente fácil encontrar táxis no Paraguay, esses são caracterizados pela cor amarela, as empresas administradoras são muito organizadas e com o taxímetro ligado, te levam a lugares distantes por um preço razoavelmente barato. Embora eu tivesse pequenos problemas com os taxistas asucenos (não ligaram a bandeira e me cobraram o dobro do preço numa rodada, esqueci minha câmera digital no carro e não me devolveram), esse meio de trasporte é muito confiável e seguro na capital do Paraguay.


¿DONDE ESTOY?


Peça um mapa, não importa onde você está, procure saber o que te cerca, lugares onde pode ir, onde é perigoso, onde estão as casas noturnas e os pontos turísticos, quando cheguei ao albergue, pedi um mapa e fui acessar a internet para procurar uma referencia próxima. Caso precise ir a qualquer lugar durante o dia, vá de lotação. São quase cem vezes mais baratas que os táxis e é como andar em uma alegoria, cheia de cores e informações. Normalmente as lotações não param para o passageiro entrar, então se der sinal, pule para entrar ou sair (com o busão em movimento), tive uma vez o azar de pular de mal jeito, torcer e tornozelo e cair de peito no chão, mas sobrevivi.


Trasporte público em Asunción


Palácio López
Acredito que uma das obras mais grandiosas do país é o Palácio López ou Palácio de los López, demorou dez anos para ser construído no governo do Marechal Solano López, existe muita história em torno dessa época, muita coisa que aprendemos em nossas escolas, acaba entrando em contradição nas terras de nossos vizinhos, isso nem vem ao caso, mas é bom conhecer o ponto de vista paraguayo, sobre o triste e injusto passado. Um país marcado por conflitos recentes é capaz de recepcionar os brasileiros de uma forma inimaginável, tão bem recepcionados que existem brasileiros que vivem no Paraguay que se consideram brasiguayos. 


Cabildo

Coincidentemente tive a sorte de estar na comemoração de 200 anos do Paraguay, por vários dias todos os prédios públicos iluminados, nas cores azul, vermelho e branco e shows na Plaza de la Indepencia.

Asunción é uma cidade cheia de contrastes e curiosidades, o comércio chama a atenção a todo momento, encontrar pessoas com sacolas de compras falando português nas ruas é muito comum, argentinos estão por toda parte, além de ser quase impossível ir ao país e não comprar um importado quase pela metade do preço, mesmo em tempos de dólar estratosférico. Se não tiver a moeda local (guarani), não se preocupe, o real, dólar, peso argentino e até euro é aceito por toda parte como moeda de compra, de toda forma, cambistas estão igualmente por toda parte fazendo seus câmbios, principalmente na praça onde está localizado o Panteón de los Héroes, logo ao lado do Banco de la Nación Argentina, próximo à feira, essa região é o coração econômico do País.

A noite é agradável, embora o calor estrague os planos de sair de calças ou andar de camisas de manga comprida. Lugares como Paseo Carmelitas dão um ar dinâmico à cidade, com vários shows no mesmo lugar (Existe um Pub irlandês muito bom nesse lugar), bares, restaurantes, pessoas sorridentes aproveitando a noite. Restaurantes históricos como o Bolsi, nascido no ano de 1960, enfeitam e ao mesmo tempo dão um sabor tradicional, onde se torna primordial conhecer.


Catedral de Asunción

Panteón de los Heroes

PARADA PARA COMER


Experimente a empanada, a chipa, chipa-guazú e a sopa paraguaya, que, sei lá, pra nós é um bolo de milho e misteriosamente não é líquida pra se chamar sopa, é um bolo (kkkk). Mas... Enviado pelos deuses da The Coca-Cola Company e sabe lá por quais cargas d'agua nunca existe no Brasil, quando estiver no Paraguay, nunca em sua vida deixe de tomar Fanta Guaraná. Sim! Fanta guaraná. Foi a melhor "gaseosa" que já vi até hoje, um gole e eu já estava eternamente viciado! 
Fanta Guaraná

Em resumo o Paraguay é um país pequeno com grande coração, onde recebe turistas de todas as partes do mundo e compartilha cultura, entretenimento e uma gastronomia incrível. Um velho ditado já dizia que a primeira vez nunca se esquece, nessa primeira viagem conheci pessoas maravilhosas, lugares que me encheram os olhos, no Hostel Black Cat me senti em casa e acabei me considerando mais um brasiguayo, mesmo morando no Brasil.


Fontes:
Todas as fotos são de arquivo pessoal.
Todos os relatos foram vividos pelo autor durante a viagem.

*É possível encontrar links em diversas palavras desse artigo, assim as buscas por informações ficarão mais fáceis.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário